Tudo Passa

Tudo Passa
Psicóloga Odegine Graça - Especialista em Autoestima, Relacionamentos e Relacionamentos Amorosos
Psicóloga Odegine Graça

“Nós não podemos nunca entrar no mesmo rio, pois como as águas, nós mesmos já somos outros “

Heráclito de Efeso


A vida é movimento. Tudo passa o tempo todo no mundo, como diz a música. Hoje somos crianças, amanhã somos adultos… e vamos sendo levados pelos ventos da transitoriedade.

“Sobre a transitoriedade” é um dos ensaios mais conhecidos de Sigmund Freud, o psiquiatra que criou a psicanálise. Todas as coisas estão destinadas a transitoriedade, as coisas boas e as coisas ruins, e esta é a ideia básica defendida nesse ensaio. Podemos achar isto extremamente desestimulante ou, podemos encontrar a verdadeira beleza justamente nesse fato.

O homem tem uma exigência de eternidade, e este é um desejo intenso e humano que nos faz muitas vezes apenas ignorarmos o momento presente, aquilo que temos aqui e agora, em prol de uma suposta eternidade. Vivemos em busca de segurar as areias do tempo por entre os dedos, e perdemos nossa existência no “queria ter”, até que em determinado momento da vida, uma sabedoria toma conta da gente e… acordamos. Isto é tão bem ilustrado na música “Epitáfio”:

“Devia ter amado mais, ter chorado mais…”

Conversando com uma paciente jovem e linda sobre quem é você, como é sua vida hoje, ela me responde “Sou uma menina. Aos 28 anos ainda sou uma menina, uma menina que desperta para a vida, para a luz. Quero jogar a máscara e parar de sentir somente dor, jogar a couraça, ter alivio e respirar. Saberia falar melhor de quem eu era, do quanto me odiava, do quanto sangrava. Hoje não sei quem sou, mas sei o que não quero mais ser.”

O caminho do autoconhecimento é lindo. Ele nos mostra que quando nos perdemos, é ai que nos encontramos, que o mundo é um eterno aqui e agora e que constantemente estamos nos reinventando, aprendendo, que todos os minutos de nossa vida somos pura magia. Aí está a beleza da vida, na transitoriedade, em tudo aquilo que se transforma constantemente. Na destruição das flores em um inferno está contida sua volta na primavera.

Freud disse:

“Se existe uma flor que desabrocha apenas por uma noite, ela não nos parece por isso menos esplêndida.”

A beleza da vida está na vida, como ela É, Aqui e Agora.

Pense nisso, e liberte-se.

Agora.

Artigos Relacionados