Ser ou Não Ser, Eis a Questão

Ser ou Não Ser, Eis a Questão

A palavra terapia, psicólogo, assusta a muitos. “Isto é coisa de louco” diz a maioria. E é mesmo. Hoje em dia, nesse mundo corrido, perturbado, conturbado, somos todos consumidores e consumidos pela falta de tempo, pela falta de espaço, pela falta de vontade, pela falta de nós mesmos.

Psic. Odegine Graça

O normal? É corrermos atrás de mais tempo, mais espaço, mais dinheiro, mais… para que? Disso não sabemos e para isso não temos tempo de saber e de perguntar. Loucura é querer saber

Nesse mundo tão corrido, nesses temos tão loucos, tudo é caos, é desordem, logo, é culpa de quem não organiza as cidades, da empregada preguiçosa, do trânsito, dos bancos que cobram muito juro, da poluição excessiva… quanto a nós mesmo? Somos só mais um na multidão, mais um número, mais um ponto ou uma vírgula, em um enorme texto sem sentido. Loucura é achar que posso mudar o mundo.

Calar a fala. Calar a voz de dentro. Calar o coração e só continuar andando, exprimido, comprimido, no meio da massa informe, sem grito, sem cor, sem expressão, sem vontade. Sem vida.

Eu sou normal.

Quanto a mudar a mim mesmo, de nada adianta nesse mundo tão louco. Além do mais, todo psicólogo é meio louco e quem az terapia começa a exigir demais e complicar tudo, até acabam com casamentos de aos e deixam empregos sólidos em nome de uma tal, sei lá, felicidade. Terapia é coisa de louco.

Quanto a mim? Respondem muitos normais vou vivendo sem prestar muita atenção em nada, sem sentir muito nada. E se algo dói, tomo um comprimido e espero passar. Se dói muito, então tomo uma anestesia.

Artigos Relacionados