Relacionamento Com Amor

Relacionamento Com Amor
Terapeuta e Consteladora Odegine Graça - Especialista em Auto-Estima, Relacionamentos e Relacionamentos Amorosos
Terapeuta e Consteladora Odegine Graça

“Relacionamento significa algo completo, acabado, fechado. O amor nunca é um relacionamento. Amor é relacionar-se, é um rio sempre fluindo, interminável.“

Osho

 

O movimento de amor no relacionar-se é muitas vezes esquecido em nosso dia a dia quando nos casamos e em nossa mente é inscrito que agora temos um relacionamento. Nos fixamos, paramos. Essa fixação muitas vezes nos desvia da nossa relação com o outro, com o compromisso, com o fluir do próprio amor, e outros sentimentos começam a poluir o nosso lindo rio de amor.

Quando nos apaixonamos tudo é lindo, quando nos decidimos pelo compromisso e estamos sobre o efeito da paixão, tudo parece perfeito e nada pode dar errado. Afinal encontramos o amor de nossa vida.

Gary Chapman em seu livro “As Cinco Linguagens do Amor” fala:  “A maioria de nós, entra para o casamento pela porta do amor. Nós conhecemos alguém com características físicas e traços de personalidade que disparam nosso sistema de alerta. Os sinos tocam e iniciamos o processo da descoberta de quem é aquela pessoa. No primeiro encontro pode ser servido um hambúrguer ou um belo churrasco, depende do orçamento, mas nosso real interesse não é a comida. Entramos em uma empreitada para conhecer o amor.“

O enamoramento dos primeiros encontros, o seguir dos planos para um relacionamento, acalentam sonhos sem conta de anos de nossa vida e de milhares de séculos de nossa espécie. Nossos sonhos, antes de nos casarmos, são de êxtase conjugal… É difícil pensar em qualquer outra coisa quando estamos apaixonados.

Relacionamento com Amor

Quando estamos sobre o efeito do êxtase da paixão, percebemos somente a perfeição do outro e somos levados a acreditar que, se de fato estivermos apaixonados, esse amor durara para sempre. Os maravilhosos sentimentos que compartilhamos até então nos acompanharão até o final da vida. Nessa energia sentimos que somos totalmente diferentes dos outros casais até mesmo. Notamos que alguns casais chegaram a perder esse sentimento, mas isso nunca acontecera conosco.  Quando estamos apaixonados, somos cegos surdos e loucos, ensandecidos por uma realidade limitada que em breve acabara, mas negamos esse fato com todo o nosso coração, com todas as nossas forças.

Infelizmente a eternidade da paixão é uma fixação e não um fato. A psicóloga Doroty Tennov desenvolveu longos estudos sobre esse fenômeno. Após estudar os comportamentos entre os casais, ela concluiu que a obsessão romântica dura, em media, dois anos. Se a paixão for um fruto proibido, talvez dure um pouco mais. Todos nós acabamos descendo das nuvens e pisamos em terra firme novamente. Nossos olhos abrem-se e passamos a enxergar as verrugas da outra pessoa. Descobrimos que alguns traços de sua personalidade são realmente irritantes. Seus padrões de comportamento nos aborrecem. E assim caímos na real, e muitos se endurecem e se fecham para as relações.

Relacionar-se é um processo, amar é um processo e amor é bem diferente de paixão. Escolhemos estar com aquela pessoa e investimos nas horas boas e nas horas ruins, e, diga-se de passagem, existem muitas horas ruins. Ultrapassar isso indo além dos contos de fadas ou das drogas enlouquecedores das paixões é uma opção que precisamos reafirmar todos os dias em uma relação.

Um namoro, um casamento, é um investimento, é um organismo vivo que precisa de carinho e cuidado. Necessita estar aberto as mudanças e aceitando as diferenças de cada dia, cada mês, cada ano. Sim, um relacionamento, como a vida, envelhece e morre, só que quando decidimos a dois por cuidar da relação, ele pode envelhecer quando envelhecemos e continuar vivo no coração de quem fica, mesmo quando um dos dois morre.

Esse é o segredo do amor. Amar se aprende amando, e todos os dias.

Grupo de Discussão Sobre Relacionamento Amoroso Cá Entre Nós

Artigos Relacionados