Que Beleza de Mulher!

Que Beleza de Mulher!

Terapeuta e Consteladora Odegine Graça

Os pecados inconcebíveis para as mulheres hoje: estar acima do peso, ser velha. Embora as mulheres tenham conseguido escalar os muros das grandes organizações, e tenham conquistado posições bastante importante dentro da sociedade, ainda são escravas de um modelo utópico e idealizado de mulher. Modelo esse que uma impõe a outra com tamanho despotismo que até carrasco sente dó.

Outro dia estava no salão e vi uma mãe dizendo à filha que fazia a unha e reclamava da dor: “fique quieta as mulheres foram feitas para sofrer, pra ficar bonita dói, mas se você quiser que algum homem goste de você tem que sentir dor”. Esse conceito tão industrial, propagado por essa mãe tem sido incutido em imagens de beleza na cabeça das mulheres tão fortemente quanto suas conquistas no mudo material.

A beleza é apregoada como universal, e permanente e quem não segue esse modelo esta fora do jogo, seja no amor, seja na profissão. Estava estudando um livro muito interessante sobre o mito da beleza, de uma autora chamada Naomi Wolf. Nesse livro ela explica como as imagens de beleza tem sido utilizadas contra as mulheres para escravizá-las, tornando-as mais fracas doentes e reféns dos ideais e do poder masculino.

Enquanto as mulheres estiverem tão presas, tão preocupadas com uma cintura 53 e em aparentar 22 anos, não tem tempo para perceber que trabalham uma média de 63 horas por semana, recebem apenas um décimo da renda mundial e possuem menos de um por cento das propriedades mundiais.

Esta não é uma invenção da minha mente, o “Relatório da Conferência Internacional das Nações Unidas para a Década das Mulheres” corrobora esse fato. Inúmeros meios foram utilizados pelo capitalismo masculino para deter as mulheres que vem ganhando o poder dia a dia, porém o único realmente eficaz foi a indústria da beleza, a imagem da mulher platônica.

Quando se colocam imagens inatingíveis para as mulheres alcançarem, essas se estressam tentando esse ideal de beleza e além de perderem um tempo precioso, ainda tem sua confiança abalada. Essa é uma arma muito potente do universo masculino, que quer deter as mulheres em seu sucesso, pois é uma arma utilizada pelas próprias mulheres contra si e contra suas iguais.

Ontem ainda no salão de beleza, vi uma pessoa olhando muito torto para a minha manicure, que irradiava beleza e sensualidade, enquanto me contava que estava apaixonada. Quando sai encontrei a mesma mulher, muito magra e com cara de infeliz, dizendo a colega “Como pode? Aquela gorda com namorado e eu aqui?”. A outra amiga consola “Deve ser um daqueles pedreiros com mãe gorda, todos gostam desse tipo de mulher”. Percebem? Esta na hora de nos unirmos à procura de nossa verdadeira beleza.

Mulheres, beleza não é universal e você não tem que parecer uma Barbie para ser bem sucedida e amada. Ser bela é algo, além disso, tudo, ser bela é estar de bem com você e com o mundo, é poder olhar além dos anúncios de placas e revistas e ver-se realmente linda, poderosa, inteligente e prestes a ganhar o mundo. Sim somos perigosas, assim presas, imagem só se decidirmos nos libertar?

Pensem nisso. Dentro de nós é forte o medo da liberdade.

“A única pessoa que pode te derrotar é você mesma.” (Germaine Greer)

Terapeuta e Consteladora Odegine Graça – CRP 08/07936

Psicóloga, psicoterapeuta

odegine@casadasfadas.psc.br

Artigos Relacionados