O Que É Psicopedagogia?

O Que É Psicopedagogia?

Renata Martins

Pedagoga/Psicopedagoga

Quando se pensa em “psico” (seja lá o que venha depois disso), logo imaginamos: Lá vem problema!

Porém, ao longo desses “vinte e poucos anos” de atuação na área educacional, tenho plena convicção de que a Psicopedagogia não só cuida de situações já instaladas, procurando facilitar a aprendizagem de modo geral, pensando no aluno como um ser integral, mas tem muito a contribuir no sentido de prevenir várias dessas situações que afligem tanto alunos, quanto pais e professores, além de todos os envolvidos nos processos de ensino e aprendizagem.

Quando no ambiente escolar, o psicopedagogo tem a função de observar, orientar, buscar (em conjunto com outros profissionais da escola) alternativas para que a aprendizagem ocorra de maneira efetiva, respeitando-se a forma de aprender de cada criança.

E é importante partir do princípio de que TODOS podem aprender.

Mas aprendem O QUÊ? E COMO? Ou ainda: EM QUE MOMENTO?

Cada um de nós possui maior ou menor aptidão para determinada tarefa, além de um maior ou menor interesse por determinado assunto, não é?

E, como vemos na Matemática, uma mesma situação pode ser resolvida de diversas formas, demonstrando que os caminhos que nos levam a compreender as coisas diferem de uns para outros.

Portanto, o que cada um vai aprender ao longo da vida também vai variar.

É claro que a Instituição escola tem parâmetros a seguir, mas, como o próprio nome diz, são parâmetros.

A partir deles, cada instituição organiza suas ações, a fim de alcançar os objetivos a que se propõe.

E nesse processo, é fundamental que essas ações sejam pensadas a partir das pessoas que fazem parte da escola, tendo sempre em mente que existem várias possibilidades para que os alunos aprendam.

Já no âmbito clínico, o psicopedagogo intervém em uma situação de “dificuldade” ocorrida durante o processo de aprendizagem.

Coloco entre aspas porque, cada um de nós, como já disse, possui maior ou menor facilidade para aprender determinado “conteúdo”, até mesmo de nossa própria VIDA!

Considerar cada aprendente (como diria Alicia Fernandez, psicopedagoga argentina) como único e verdadeiramente capaz, faz com que grande parte do trabalho a ser realizado chegue ao sucesso.

Importante considerar que o psicopedagogo clínico vai ter um olhar mais individual, enquanto que o escolar tem o foco para o aluno no ambiente em que está inserido, embora este ambiente influencie de forma significativa no trabalho clínico.

Há muito o que conversar sobre o tema, e teremos outras oportunidades de continuar esse bate papo.

Afinal, cá entre nós, somos todos parceiros nessa caminhada em busca de um mundo mais feliz: seja na escola, em casa, num passeio com os amigos…

Artigos Relacionados