O Que é o Amor Verdadeiro?

O Que é o Amor Verdadeiro?
Terapeuta e Consteladora Odegine Graça - Especialista em Autoestima, Relacionamentos e Relacionamentos Amorosos
Terapeuta e Consteladora Odegine Graça

“Se o amor é fantasia, eu me encontro ultimamente em pleno carnaval.“

Vinicius de Moraes

 

O psicólogo pioneiro no ramo da sexologia, Havelock Ellis, restringiu o amor a uma equação:

 

AMOR = SEXO + AMIZADE

 

Seria o amor somente isso?

Ou o amor é alguma coisa arrebatadora, efervescente, louca que nos faz perder a cabeça e todos os demais sentidos diante do ser amado?

O amor maduro, diferente da paixão, onde tudo se perdoa e os defeitos do parceiro se tornam qualidades a nossos olhos, onde poderíamos viver de amor e superar todas as dificuldades somente por amor, vai bem além do amor romântico, construído por artistas submetidos a paixões intensas. O amor verdadeiro, a ligação amorosa, ela é aprendida, é construída no dia a dia, com pequenas atitudes. Não me canso de repetir isso, pois é o mais difícil de aprender.

Crianças e Amor

Muitos pensam que o que estragou a relação e trouxe o rompimento ou a traição foi um único ato monstruoso do parceiro. Fato é que o amor foi sendo descuidado dia a dia e foi um acúmulo de pequenas atitudes que levaram a conseqüência final.  O amor para durar e as relações para terem continuidades felizes exigem que criemos novos hábitos. Esses alimentam positivamente essa ligação amorosa. Acompanhem alguns exemplos fornecidos por Andrew G. Marshall em seu livro “Eu Te Amo, Mas Não Estou Apaixonado Por Você.“:

  • Ouvir: com total atenção, assentindo e formulando perguntas para que o locutor saiba que está sendo realmente ouvido.
  • Compartilhar: sentimentos, detalhes do seu dia a dia ou de suas tarefas.
  • Generosidade: pode ser no seu tempo, realizando uma tarefa para o parceiro que ele não gosta, ou um pequeno presente.
  • Contato Físico: um aconchego no sofá, afagar as costas do parceiro no carro ou contato sexual pleno.
  • Apoio: assistir a prática esportiva do parceiro, elogiá-lo, cuidar dos filhos enquanto ele ou ela freqüenta as aulas de um curso, incentivar seus sonhos.
  • Senso de humor compartilhado: piadas particulares, bagunças e bobagens em geral é uma excelente forma de manter o laço.
  • Esforço extra: devemos apreciar os laços que são realmente difíceis para o parceiro, como relacionar-se bem com a mãe intransigente ou concordar com aquela conta bancária em conjunto.

É, o amor não é uma fantasia e a vida não é um grande carnaval, mas se a ligação amorosa se perdeu, é possível refazê-la? Acredito firmemente que sim. E digo ainda mais, é possível reaprendermos a amar ainda mais do que amamos no início da relação, pois agora a ligação amorosa é sentida dentro da realidade de uma convivência e de uma ação, de um movimento alinhado e direcionado de ambas as partes.

Vale a pena o investimento.

Grupo de Discussão Sobre Relacionamento Amoroso Cá Entre Nós

Artigos Relacionados