O Leite Derramado

O Leite Derramado
Psic. Odegine Graça

O dia hoje sem sombra de dúvidas está sendo de aprendizado. Logo depois da nossa ida à panificadora, eu e minha filha, ao chegarmos em casa, fomos fazer o café da manhã. Combinamos que eu passo o café e arrumo a mesa e ela só cuida para o leite não derramar. Trato feito, batemos a mão no ar para combinarmos pra valer. Bom. Laurinha, minha filha, ficou quase o tempo todo de olho no leite. Um único segundo de distração, em que ela virou para me dizer uma vogal e puft… o leite derramou. Ela me olhou com aquele olhar e fez um “ôpaaa…”. Eu fiquei olhando com aquele ar de desespero e corri pra pegar a esponja, algo do tipo. Vou salvar a boca do fogão – pensei comigo. Nem sei porque ficamos tão desesperados quando o leite derrama. Vocês ja repararam nisso?

Então minha filha disse:

– Mãe, eu tava olhando e o leite não tinha subido ainda, foi só eu me virar um tiquinho e pimpa, ele me traiu e derramou.

Eu falei:

– Acho que o leite não segue as leis normais da física.

Ao que minha filha respondeu:

– É claro que não, as leis da física do leite são bem diferentes. Ele derrama só pra ver a gente desesperados.

Rimos muito.

E logo depois, lá estava eu pensando na física, ou filosofia, do leite derramado. Pensando que tem certas coisas que quanto mais prevenimos, mais facilmente elas acontecem, em um único minuto de descuido de nossa parte? Existem coisas em nossa vida que ficamos nos precavendo, nos cercamos de todos os cuidados do mundo e simplesmente, num único instante em que nos distraímos, somos pegos de surpresa por aquilo que mais temíamos.

Pois é. Existe uma regra de ouro em termos de energia. Tudo aquilo em que prestamos muita atenção, infla de energia e cresce. Tudo aquilo que mais tememos tende a acontecer. Nossos medos se tornam realidade por esse motivo. Ficamos tão atentos a eles, tão centrados, submersos em seu campo, que os criamos e os alimentamos com todo o carinho e cuidado, como a um filho querido todos os dias. Ligando ao leite, nos ligamos ao fogo alto e ficamos alí, esperando que ele ferva, e nos distraímos um único minuto, para que ele siga seu próprio destino. Derrame.

Nós, seres humanos, aprendemos a ter tão pouca confiança na vida, nas coisas boas e em nossa capacidade de viver coisas boas, que nos concentramos na falta em vez de na abundância. Ficamos centrados na carência e em nossos medos em vez de termos a certeza de que o universo é abundante e que coisas muito boas acontecem todos os dias, a toda hora no universo inteiro, e que somos capazes de criar coisas maravilhosas a cada segundo. Se ficarmos concentrados em nosso espirito divino, em nosso sopro criativo, na felicidade, será exatamente isso que criaremos a toda hora.

Mas será que isso é possível? Acredito fortemente que sim. Temos uma capacidade incrível de estamos todos ligados a uma fonte criativa de energia suprema que está a nossa disposição, pronta para nos servir. É uma fonte inesgotável de riqueza, onde todos nós podemos beber e nos banharmos. Está a disposição de todos. O segredo é que essa fonte cria tanto os nossos desejos bons quanto os ruins, sem discriminação, pois para o universo, simplesmente não existe bom ou ruim, só existem pólos diferentes de energia e ele respeita plenamente nossos desejos sem nos julgar ou questionar. O universo é um gênio obediente, pronto para realizar todos os seus desejos. Você ordena e ele cumpre. Simples assim.

Aprenda essa lei e a exercite. Você verá grandes surpresas acontecerem logo a sua frente.

Vá em frente e boa sorte. Estou torcendo por você.

Que seu leite de boa sorte e boas coisas derrame por toda sua vida.

Artigos Relacionados