O Fim da Vida

O Fim da Vida
Psicóloga Odegine Graça - Especialista em Autoestima, Relacionamentos e Relacionamentos Amorosos
Psicóloga Odegine Graça

“Viver!

E não ter a vergonha

De ser feliz

Cantar e cantar e cantar

A beleza de ser

Um eterno aprendiz…

Ah meu Deus!

Eu sei, eu sei

Que a vida devia ser

Bem melhor e será

Mas isso não impede

Que eu repita

É bonita, é bonita

E é bonita…”

Gonzaguinha


No domingo, estava eu e meu marido em um final de semana filosófico, como de costume… 🙂

Conversamos sobre idade e viver. Então eu disse a ele: Sabe amor, eu estou com 46 anos e sinto que agora, quase chegando aos 50, é que comecei a aprender um pouquinho sobre a vida. Ele me respondeu: Isso é porque você é uma pessoa sábia. Eu continue minha fala: Pois é amor, nós humanos, quando começamos a aprender alguma coisa, estamos velhos e logo morremos, isso é um desperdício.

Continuei pensando nisso, e hoje de manhã cheguei a conclusão que não é a quantidade que a gente vive, mas sim a intensidade com que se vive.

Tantas vezes passamos pela vida como sonâmbulos, ou com um medo terrível de viver, e assim não vivemos, só morremos de medo daquilo que pode acontecer se sairmos para a vida.

Como perdemos tempo! Como perdemos vida. Se somente conseguíssemos ser levados pela sabedoria do universo, se deixássemos tantas fantasias destrutivas de lado e sentíssemos o sol e a chuva de corpo, alma e coração abertos, seríamos tão completos, e inteiros, e respiraríamos livremente, sem arrependimentos ou cansaço.

O melhor conselho ainda vem dessa mesma música: “Fico com a pureza da resposta das crianças, é a vida, é bonita, e é bonita.”

O que acha de tentar? O fim da vida “É somente mais um começo”.

Bom dia.

Boa vida.

Artigos Relacionados