O Casamento da Princesa

O Casamento da Princesa
Psic. Odegine Graça

O modelito felizes para sempre em perfeita paz, estilo globo ou príncipe e princesa, esta sendo totalmente degustado pelo mundo. Milhares de mulheres, principalmente, estão acompanhando a princesa plebeia substituta de Lady Diana, Kate Middleton, subir ao altar com o charmoso príncipe William.

Pois é! Esse sonho de princesa está secretamente no coração da maioria absoluta das mulheres do mundo. Nesse sonho do felizes para sempre as mulheres se vestem de branco e abrem totalmente o coração para um modelo mental de homem e procuram alguém, a vítima, que queira  vestir o modelito de príncipe. Alguns meses depois, para algumas de muita sorte alguns anos, o ser humano/homem/animal, racional ou não, aparece por traz da fantasia do príncipe e tudo começa a desmoronar.

Normalmente não se sabe o que fazer quando as fantasias são despidas. Iniciam as brigas e acusações, surge a típica frase “Você mudou ou você não é nada daquilo que eu pensava!”. Choro e tristeza, gritos e acusações, depois separação, consolação, a procura de um novo modelito mental, de um novo príncipe. E de novo a repetição.

Um relacionamento verdadeiro é recheado de decepções, mágoas, aceitação, sonhos que dão lugar a realidade. O amor em suas exigências quase sempre é bem diferente dos contos de fadas ou das telas dos cinemas. Vejam o caso da antiga Lady Diana.

Nós mulheres, principalmente, precisamos entender de uma vez por todos que nossa solidão, ou nossa felicidade, não depende de um príncipe, nem nossa segurança de um marido. Essa imagem tão largamente gravada em nossas almas desde a mais antiga historia da humanidade tem feito milhares de homens, mulheres e filhos “infelizes para sempre”.

Todos os dias escuto pessoas chorando em meu sofá dizendo que esperavam que o casamento fosse algo muito diferente do que se apresenta de fato todos os dias. Os dias cinzas fazem parte da vida de todas as pessoas, o cotidiano por vezes é colorido, por vezes é chuvoso. Porém, isso não quer dizer que precise ser triste e pesaroso. Existem tantas coisas bonitas em relações verdadeiramente humanas entre seres realmente humanos, que podemos achar e fazer brilhar as vistas. É muito gostoso comer pipoca, assistir seriados, deitar do lado de alguém que ronca e está muito cansado pra terminar o filme do seu lado. É maravilhoso saber que existe alguém que gostaria de beijar sua boca mesmo quando você acabou de acordar e esta com aquele bafo-de-onça. É bom saber que tem alguém que esta com você mesmo quando tudo está cinza e difícil, e te diz: Nós vamos conseguir. É com esse mesmo alguém que você vai se irritar e por vezes ficar irado porque ele não fez exatamente o que você queria.

Encontrar a resposta de que você é um ser humano, que esta se relacionando com outro ser humano, que é diferente de você de fato, realmente não é uma fórmula fácil.

Viver e estar além dos contos de fadas ou do palácio de  Buckingham não é tarefa fácil, mas é realmente compensador quando descobrimos que podemos fazer isso, que somos seres de verdade, com relações e emoções verdadeiras, e isso faz a total diferença.

Quando lidamos com gente nem sempre temos a medida exata do que esperar e do que não esperar, ou seja, estamos lidando sempre com a surpresa, mas é muito mais seguro do que adorarmos ídolos, pois, como bem disse Nietzche, ídolos tem pés de barro.

Quando o casamento, o relacionamento, é construído sobre bases insólitas, pode-se esperar muitos acidentes e quedas violentas. Porém, quando se mantem os pés no chão, quando se mantém a procura constante de se melhorar enquanto pessoa e a decisão de se dedicar a relação, os dias realmente podem tornar-se saborosos, e com um tempero simples, verdadeiro e do tipo eterno enquanto dure. E que dure enquanto for bom, porque são esses momentos os eternos, mesmo quando não são para sempre.

 

Artigos Relacionados