Fuga do Amor

Fuga do Amor
Terapeuta e Consteladora Odegine Graça

“ Dentro de você existe toda a força e energia que você precisa

Para conseguir tudo aquilo que seu coração deseja. “

Odegine Graça

Existem certos comportamentos que nos afastam do amor e de relações saudáveis. Agimos muitas vezes de maneira inconsciente contra nós mesmos.

Vamos verificar alguns mecanismos que nos levam ao fracasso de uma relação.

Varrendo a sujeira para debaixo do tapete, que é o típico comportamento de faz de conta. Ignoram-se os fatos tentando fazer com que eles percam a relevância. Evita-se o confronto, o diálogo. Faz de conta que isso não aconteceu. Faz de conta que isto não existe. Pensa em outra coisa, deleta esse sentimento, este pensamento, e tudo voltará ao normal. Essa linha de pensamento e ação é uma ilusão. A sujeira fora de vista cheira mal, chama bichos peçonhentos, como ratos e baratas para a sala de estar do seu coração. Isto se traduz em doenças psicossomáticas, sofrimento emocional, e muitas vezes, no desgaste irreversível da relação.

Outro mecanismo de fuga do amor são as fantasias reparadoras, tanto as destrutivas quanto as construtivas. Cria-se na mente um filme que coloca a vontade diante de uma situação difícil, na qual se é abandonado. Nessas fantasias o amor aparece no papel de vilão, ou amante perfeito, ou qualquer outro papel necessário que sirva a negação do verdadeiro sentimento e deixe a pessoa na ilusão de estar bem.

Outro mecanismo muito utilizado é o apego ao passado. Tudo o que se passou é bem melhor do que aquilo que tenho agora, ou mesmo tudo o que virá a seguir. As experiências passadas são repetidas na mente como perfeitas e são utilizadas como barreiras em outros relacionamentos futuros. Elas são usadas como boas desculpas para o não envolvimento.

Para você reconhecer se utiliza algum desses mecanismos para se afastar do amor, faça-se algumas perguntas.

  • Quando o objeto do meu desejo começa a se aproximar demais, me sinto em perigo? Meu sinal de alerta interno de impossibilidades começa a tocar?
  • Quando meu objeto de desejo se aproxima, meu coração bate forte e começo a ter nervosismo noturno e insônia? Quando durmo, tenho pesadelos de perseguição?
  • Quando o objeto de meu desejo me toca, sinto como se estivéssemos nos ligando energeticamente em intensidade equivalente a de um ato sexual, mesmo que não tenhamos sexuado de fato? Isso me põe em alerta e me protejo com medo de me machucar?
  • Tenho medo que a pessoa que gosto me pergunte coisas que revelem meu calcanhar de Aquiles?
  • Em minha família de origem as pessoas expressam seus sentimentos gritando?
  • Em minha família de origem as pessoas não conversam sobre sentimentos difíceis?
  • Meu pai era agressivo comigo e com minha mãe quando eu era criança?
  • Minha mãe sempre foi carinhosa comigo?
  • Minha mãe era a pessoa mais forte em casa quando eu era criança?
  • Meu pai tinha amantes quando eu era criança?
  • Minha mãe tinha amantes quando eu era criança?
  • Em minha casa, quando eu era criança, chorar ou expressar sentimentos, era considerado fraqueza?

Agora junte todas as frases que marcou e descreva seus relacionamentos revelando a si mesmo porque foge do amor através desses mecanismos. Veja o exemplo: Fujo do amor, pois minha mãe era complicada, meus familiares tinham vergonha de expressar aquilo que sentiam, sentir em minha casa era motivo de vergonha, ninguém nunca chorava ou falava o que realmente sentia.  Então hoje percebo que se relacionar amorosamente para mim é um problema sério.

Então, leia seu texto, e com muito respeito a sua vida, diga:

Eu olho para isso e diga:

– Reconheço que isto tudo faz parte de mim.

Queime o seu papel enquanto faz uma reverência.

Boa sorte. Você está livre para amar.

Grupo de Discussão Sobre Relacionamento Amoroso Cá Entre Nós

 

Artigos Relacionados