Egolatria

Egolatria
Terapeuta e Consteladora Odegine Graça

 

Tudo se foi, como tudo se vai. Quase sem querer… Igual ao rio que se perde no mar.

Não foi culpa sua nem minha, foi por causa desse bobo orgulho… Que nos afastamos… que nos afrontamos… E quase nos destruímos. Que bom que havia o quase entre nós. Ele nos salvou…

Existem tantas certezas burras que nos entristecem…

Tantas dúvidas lindas que nos levam para sempre em frente de nós mesmos… Em qual classe foi o bilhete que comprei quando vim para essa terra? Quanto vale você? Quanto valho eu ?

Nessas palavras tão cansadas onde me cego e você, cego me segue, nessa escura noite que se prolonga.

Nesse Ego já tão cinza e medroso o qual me anula e me deixa assim tão só e separado de mim mesmo e de todos que querem se unir mas não sabem que o aspecto da união exige a anulação do EU tão bestial e arrogante e quanto esse nos basta nesse e naquele sentido… sentindo o todo, que nos enaltece e nos anula nesse universo tão denso e gentil provando aquilo que somos e que viemos tão tensos e densos achando que somos mais que os outros.

Nada temos daquilo que vivemos no imaginário. Nada somos disso que enaltecemos em nós. E esse rio que nunca é o mesmo, nos mata em cada esquina em que nos esquecemos de nossa alma…

Sinta isso e pense nisso. Os que tem ouvidos para ouvir, ouçam…

 

Artigos Relacionados