Amor Que Consegue Dar Certo

Amor Que Consegue Dar Certo
Psicóloga Odegine Graça - Especialista em Autoestima, Relacionamentos e Relacionamentos Amorosos
Psicóloga Odegine Graça

“O amor que dá certo é o humano, próximo do comum.”

Bert Hellinger

 

Temos falado muito sobre o amor e o relacionamento homem e mulher. Esse tem sido um desafio da humanidade: acertar os passos entre amar e sofrer. Nos iludimos romanticamente achando que amor é aquela coisa super  louca e que a pessoa que amamos  foi produzida especialmente para nós e vem numa embalagem especial, sem passado e sem mancha alguma.

Será que existe mesmo esse relacionamento a dois somente?

Vamos ver o que diz Bert Hellinger:

“O relacionamento a dois é um sonho. Todos nós estamos inseridos em um campo, em uma família maior.”

Pois é, junto com quem amamos, vem um sistema familiar completo de presente. E também, junto com essa pessoa que amamos, vem todo o seu passado tudo aquilo que aconteceu com ela. E quando amamos verdadeiramente essa pessoa precisamos olhar para ela exatamente como ela é, amar a ela e toda a força que a conduz.

Amor que pode dar certo

Experimente olhar para a pessoa que você ama e dizer “Eu te amo, e amo tudo aquilo que nos conduz.”. Esse é o conselho do Bert Hellinger. Ele continua dizendo:

“Eu te amo assim como você é, exatamente como você é, e amo aquilo que te conduz: seu destino, sua doença, sua morte precoce, se esse for o seu destino, e então me encontro em sintonia com algo maior e o outro sente uma dignidade profunda.”

Amar alguém significa não querer mudá-lo. Se você quer mudar alguém, você não ama esse alguém, ama o seu sonho projetado nessa pessoa. O mesmo vale para o amor por si mesmo. Bert Hellinger ainda diz:

“Se me olho e me vejo assim como sou, com tudo o que faz parte de mim, a luz e a sombra, e depois digo: Sim, eu me amo e amo aquilo que me conduz, então estou em sintonia comigo mesmo, respeitando-me exatamente como sou, sem desejar que alguma coisa seja diferente do que é.”

Quando ajo assim, quando sinto assim, eu estou completo. Esse mesmo respeito demonstro para toda a minha família: “Eu tomo aquilo que recebi de meus pais e os reverencio, transmitindo essas dádivas e deixando que elas fluam para todos.”

Sendo assim, eu sinto que faço parte de algo maior, entro em sintonia e vivo em sintonia. Vivo a vida um dia de cada vez, um minuto de cada vez, com exatamente aquilo que tenho, plena e intensamente. Isso é amor. O amor mais ordenado e saudável que alguém pode ter.

Grupo de Discussão Sobre Relacionamento Amoroso Cá Entre Nós

Artigos Relacionados